Programa Brasil-Biotec pretende fortalecer a biotecnologia nacional

Hoje o Brasil é o 15° no indicador de desenvolvimento científico da Scimago Journal & Country Rank, mas apenas 62° no ranking de inovação, de acordo com a World Intellectual Property Organization. Esses dados demonstram que é possível que estamos deixando de usufruir das descobertas que estão acontecendo em nossas universidades. E isso precisa mudar!

Como dito pelo secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales, o Brasil detém uma vasta biodiversidade, centros de pesquisa de excelência em setores como saúde e produção agropecuária; e precisa investir na conversão do conhecimento gerado em produtos e processos que tragam benefícios para a sociedade brasileira. Para isso, é evidente a importância de ações governamentais que propiciem um ambiente de inovação.

O programa vai priorizar o uso da biotecnologia em quatro áreas: Saúde Humana; Agropecuária; Industrial; e Ambiental e Marinha. Outros objetivos do Brasil-Biotec são universalizar o acesso à infraestrutura avançada na área de biotecnologia para os setores público e privado e comunidade científica; promover a capacitação de recursos humanos e transformar o cenário atual da biotecnologia brasileira, superando gargalos e entraves para seu pleno desenvolvimento. Dessa forma, a Iniciativa Brasil-Biotec, irá estruturar ações que irão contribuir com a Política Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P,D&I) em Biotecnologia, além de criar, integrar e fortalecer ações governamentais na área, com foco na promoção da ciência, da inovação e do desenvolvimento econômico e social. De acordo com o Art. 2º da portaria 4.488/2021, os objetivos do programa são:

I – estruturar e promover ações que irão contribuir com a Política Nacional de P,D&I em Biotecnologia;

II – Estruturar a governança e coordenar os esforços do Estado na temática de biotecnologia;

III – promover o avanço e o fortalecimento científico, tecnológico e a inovação nacional relacionados à biotecnologia;

IV – Estimular o desenvolvimento conjunto de novas tecnologias e a transferência de conhecimentos e tecnologias, associados à biotecnologia, da academia para os setores público e privado, com vistas à geração de riqueza, emprego e crescimento nacional;

V – Mobilizar, articular e fomentar os atores nacionais públicos e privados para atuarem coordenadamente no desenvolvimento de processos, produtos, instrumentação e inovações na área de biotecnologia;

VI – Garantir a universalização do acesso à infraestrutura avançada na área de biotecnologia para produção, caracterização, escalonamento e desenvolvimento tecnológico para a comunidade científica e para os setores público e privado; e

VII – promover a formação, capacitação e fixação de recursos humanos, a educação em biotecnologia e sua divulgação.

Nas palavras do secretário, “a Iniciativa buscará, através de ações de mobilização, articulação e fomento, promover da cooperação entre entes públicos e privados no desenvolvimento conjunto e na transferência de conhecimentos e tecnologias com vistas à geração de riqueza, emprego e crescimento nacional”.

Nós da Biotimize estamos ansiosos para conhecer as próximas etapas do programa e acompanhar esse projeto saindo do papel e se tornando ações!

Contem para nós nos comentários o que vocês acharam dessa notícia e como esse Programa de fato ocorrerá. Como podemos, em conjunto, nos beneficiar dele?

Quer investir na biotecnologia, mas não sabe como ou por onde começar? Entre em contato conosco e juntos vamos tornar o Brasil um referencial no setor de Biotecnologia! Acesse www.biotimize.com.br ou envie um e-mail para [email protected].

Como o mercado de Bioprocessos tem Evoluído? Inscreva-se e acompanhe!

* campos obrigatórios